quarta-feira, novembro 29

Parece que dia 11 de Fevereiro temos encontro marcado...


link

A Verdadeira Génese dos Heterónimos

Hoje vou falar-vos de um senhor muito peculiar. Aliás, vou falar-vos de uns senhores porque não se sabe bem se é um se são vários. O seu (s) primeiro nome é Fernando e lá rabisca uns bitaites. No outro dia, quando estava no velho sótão do meu avô (fictício), encontrei um documento escrito por esse tal Pessoa. Esse documento, vim eu a descobrir mais tarde, continha a verdadeira génese dos heterónimos. Vou aqui reproduzi-lo tal e qual como o li:

"Lisboa, não-sei-quantos de mil novecentos e tal,


Caro Sr. Casais Monteiro,

Venho por este meio comunicar-lhe que a carta que lhe enviei há umas semanas continha algumas incongruências, pelo que vou passar a corrigi-las neste documento.

Esta missiva pretende dizer-lhe qual a verdadeira génese dos heterónimos. O que se passou foi o seguinte:
Estava eu muito feliz a passear à beira-rio quando vi um indivíduo deitado na relva (possivelmente embriagado) e que bradava aos céus: “Sei a verdade e sou feliz!”. Curioso, como é meu hábito, acerquei-me dele e perguntei-lhe qual era a verdade. Orgulhoso e sorridente, o indivíduo aponta para uma flor e diz: “É isto! Porque é o que é!”. Ainda mais surpreendido, dialoguei com o homem, que me contou que na vida não vale a pena pensarmos porque basicamente chateia.
Achei-lhe piada e perguntei-lhe o nome. Tinha nascido assim Alberto Caeiro.
Uns meses depois, e já na cidade, quando passava ao lado de um caminho-de-ferro, deparei-me com um indivíduo amarrado à linha, todo ele cheio de cortes e arranhões. Principiei imediatamente a correr para salvar o pobre diabo, mas este começou a gritar que não o soltasse porque queria ter a satisfação doentia de ser atropelado por um comboio. Como não sou mal-educado, deixei-me estar e fiquei a observar o pitoresco espectáculo. Por vezes o homem largava uns “Hup-lá, hup-lá” e outras interjeições mais estranhas. Exaltava as máquinas e dizia também outras ordinarices. Achei-lhe piada e resolvi chamar-lhe Álvaro de Campos.
É assim esta a origem dos meus heterónimos mais sonantes, sendo que os outros surgiram maioritariamente quando eu me encontrava em casa a pensar na morte da bezerra.
Espero que lhe tenha esclarecido as suas possíveis dúvidas e é com muito gosto que envio os meus cumprimentos à sua família e ao senhor"
.

Fernando


P.S: Peço-lhe que não rasgue a carta ao abri-la.
P.S.S: Rogo-lhe que queime a carta logo após a sua leitura, pois não estou com cabeça para ser plagiado ou chantageado.
P.S.S: Ricardo Reis é um pseudónimo do Almada, mas não diga a ninguém se faz favor. Invente qualquer coisa.

Palavras para quê?

terça-feira, novembro 28

Desculpem, mas não resisti...

Esta semana na TV benfica

Terça-feira
15h - Diz Que É Uma Espécie de Clube (História do Benfica pelo Gato Fedorento)
16h - Boletim clínico de Rui Costa
20h - Telejornal com apresentação de João Querido Manha
22h - O Dia Seguinte - Com Fernando Seara, taxista Jorge Máximo e Leonor Pinhão. Programa de debate moderado por João Querido Manha e com entradas inesperadas de Filipe Vieira

Quarta-feira

15h - Presidente Vieira e Vítor Pereira escolhem os árbitros da jornada - Directo
16h - Boletim clínico de Rui Costa
18h - Malucos do Riso - Os melhores frangos de Moretto, Moreira e Quim
21h - Jura - telenovela com todas as promessas eleitorais por cumprir de Filipe Vieira
23h50 - Mantorras entra nos últimos 10 minutos de emissão

Quinta-feira

16h - Boletim clínico de Rui Costa
17h - Na Tasca com os Tachos - Programa de culinária apresentado pelo Barbas
19h - Directo do Seixal - Insulto semanal de José Veiga a Pinto da Costa
21h - Floribella - Com Kikin Fonseca e Nuno Gomes nos principais papéis
22h - Noite de Cinema: O Massacre - Katsouranis, Van Damme e Petit num filme de grande acção e extrema violência

Sexta-feira

15h - SLB Vida Selvagem - rituais de acasalamento no mundo animal com as águias Vitória, Glorioso, com o milhafre e José Veiga
16h - Boletim clínico de Rui Costa
19h - Preço Certo - Concurso em que vários clubes europeus tentam comprar Simão
21h - Aqui Não Há Quem Viva - Série que retrata o quotidiano do departamento médico do clube

Sábado

16h - Boletim clínico de Rui Costa
19h - Serviço de Urgência - mantenha-se actualizado sobre as últimas lesões no clube
21h - Doce Fugitivo - Série dramática sobre o jovem Manuel Fernandes e a sua fuga para Inglaterra para escapar ao departamento médico do Benfica
23h - CSI Luz - Uma equipa de cientistas investiga os cadáveres e estropiados do monstro Rodolfo Moura

Domingo

9h - Missa Dominical em directo da Catedral da Cerveja acolitada por Fernando Santos
16h - Boletim clínico de Rui Costa
19h - Hora de Baco - Reunião mensal dos corpos sociais do clube
20h - Jornal de Domingo - Apresentado por Leonor Pinhão
2h - Televendas: Beto, Alcides, Marco Ferreira, Diego, João Coimbra e Moreira

segunda-feira, novembro 27

Apetecia-me escrever algo de poético ou particularmente inspirado, mas depois penso: porque não simplesmente escrever e ver onde isso me leva? É um caminho que nos conduz para um destino incerto conhecido. É uma possibilidade que temos de caminhar ou simplesmente de ficar a observar a linha do horizonte que se perfila diante de cada um de nós. A opção é nossa. Aliás, não é, porque não existe nenhuma escolha, somente a nossa vontade que pode querer tudo, mesmo que seja num universo cheio de nada.
Isto é capaz de não fazer sentido nenhum, mas ao menos é um caminho que percorri.

domingo, novembro 26

Ao Domingo...

...gostaríamos que fosse Sábado...

sábado, novembro 25

O melhor site de 2007:



E não há nada como um jantar de amigos! Quando se gasta 80 euros e se sorri...

sexta-feira, novembro 24

Sorriu... Caiu a caneta e saiu dele mesmo, chovia e ele sonhava.
Tanto sonho, tanta coisa, tanto tudo em tão pouco. Queria a chuva desejava tudo, tudo ao mesmo tempo para não ser ao compasso de ser...


Deixa espaço para ser o que queria, sendo no sonho de um dia o que numa vida não poderia, que cada um deveria querer.


Sorriu... Sabendo que não é assim, ele queria ser chuva, voar ser levado, transbordar de si mesmo, viver alucinado, numa correria doida de incansável viagem sem parar nunca em tempo algum, conhecer mil terras, viver milhares de países, sentir o mundo na palma da mão que não tinha, e ser, acima de tudo ser, o que se é quando nada se tem de ser... (se calhar) ele!

Deixa espaço para ser o que queria, sabendo que é somente um... f... talvez poeta, porque (esse) não vive, sonha onde não se sonha...

Sorrindo, a turbulência abala a estabilidade, há muita, por todo o lado, por cima por baixo por lado enviezada , forte, fraca, simplesmente brutal... e continua a queda é abrupta, tem medo , morre de medo, e sorri!

STRSH!!! o calor de uma família do outro lado do vidro, de um coração que vive e que sente verdadeiramente tudo o que sofre e passa... a gota escorre pela vidraça nova, em caixilho de aluminio, acabou!

Ele sorri, gostou de practicar um sonho que provavelmente não era praticado, hoje, foi bom para ele, este sonho de não sonhar de viver somente, numa tempestade cinza...

Porquê?

Hoje resolvi debruçar-me sobre uma temática pouco explorada, ou pelo menos pouco falada, na nossa sociedade: o porquê da disciplina de Área e Projecto?
Logo à partida debatemo-nos com uma "dificuldade" (termo técnico APzense), o verdadeiro nome da disciplina: Área e Projecto? Área de Projecto? Ou simplesmente Área Projecto? Ninguém parece conseguir desmistificar esta dúvida.
Depois de ultrapassada (ou ignorada) esta "dificuldade" deparamo-nos com uma disciplina que visa enaltecer e exaltar as maravilhas da burocracia. Para a prosecussão de um projecto temos de:
-Formar uma equipa;
-Redigir um relatório que fundamente as razões da escolha da equipa;
-Escolher um tema (obrigação de fazer um brainstorming, de preferência com cores e bonecos);
-Redigir um relatório que justifique a escolha do tema;
-Elaborar um plano de trabalho;
-Redigir um relatório que justifique o plano de trabalho;
-Documentar-nos acerca de metodologias;
-Redigir (sim, um relatório acerca das metodologias);
...

Bem, eu podia continuar a enumerar estas fases "essenciais" para a execução de um projecto, mas prefiro ir ao cerne da questão: PORQUÊ TUDO ISTO? Porque não dar mais uma hora livre aos alunos do 12º ano para eles estudarem, dormirem ou respirarem? E acima de tudo, porque é que a palavra "feitura" é permitida na língua portuguesa?

Para mim, a disciplina de AP tem tanta pertinência como a escolha da imagem para ilustrar este post...

quinta-feira, novembro 23

Logaritmos, a evolução da Área de Ciências Sociais e Humanas...

terça-feira, novembro 21

O Natal

De há uns tempos para cá tem-se aproximado uma coisa a que chamamos Natal.
Muitos pensam que se trata de uma data onde se celebra o nascimento do Salvador a.k.a. Jesus Cristo, mas hoje sabemos que não é nada assim.
Sabemos sim que o Natal é uma época onde a feroz concorrência entre cadeias de hipermercados espoleta confrontos mágicos e violentos entre personagens como a Leopoldina, o comboio de Natal, ou o Power-Ranger-cor-de-rosa-que-não-se-vendeu-o-ano-passado-e-que-serve-para-ilustrar-uma-campanha-de-venda-de-presentes.
Há quem diga que se perdeu o espírito natalício, mas há também quem contraponha que se ganharam os saldos especiais nos Três Mosqueteiros e a beleza das montras enfeitadas já em finais de Outubro. Afinal de contas, a magia do Natal é algo que nos afecta a todos, desde o mais humilde até ao nosso presidente da Câmara que mais uma vez tem o orgulho de poder instalar a “Maior Árvore de Natal da Europa”! Acrescentando os anúncios e a televisão em geral, que tende a estupidificar por esta altura, temos também os clássicos filmes da Véspera e do dia de Natal, como o Hulk, o Harry Potter e o Arma Mortífera IV. Temos também todos os bolos e petiscos referentes a esta época como mais um elemento apelativo à sua celebração. Ruas entupidas de casais com sacos de presentes, canções que cintilam aos nossos ouvidos, néons publicitários, programas de televisão ainda mais degradantes e um “Boas festas” descontextualizado.
O que é que celebramos nós no Natal? As luzes, as prendinhas e as filhoses? Não! Claro que não! Há também o Pai Natal! Essa figura emblemática que nos deixa presentes no sapatinho!
Realmente o Natal é tudo isto, e pelo andar da coisa só resta ao Menino Jesus procurar emprego nos classificados, porque o Pai Natal, quer pelo seu peso (nos dois sentidos) quer pela sua imagem simpática, marcou uma posição duradoura.
Só espero que Jesus, na sua meninice, nos proporcione uma travessura e faça o Pai Natal cair da cadeira.

segunda-feira, novembro 20

Post do gajo que não queria ir à tropa

"Exmo. Sr. Ministro da Defesa,

Venho deste modo explicar-lhe uma situação delicada que tem vindo a ocorrer, de maneira a poder obter um eventual apoio vindo de Vossa Exa.

Tenho 24 anos, e fui esta semana chamado para ir à tropa. Sou casado com uma viúva de 44 anos, mãe de uma jovem de 25 anos, da qual sou padrasto. O meu pai, por seu lado, casou-se com essa jovem em questão.

Neste momento, o meu pai passou a ser o meu genro, uma vez que se casou com a minha filha. Deste modo, a minha filha, ou chamemos-lhe, enteada, passou a ser a minha madrasta, uma vez que é casada com o meu pai.

A minha esposa e eu tivemos, no mês passado, um filho. Esse filho tomou-se o irmão da mulher do meu pai, portanto o cunhado do meu pai. O que faz com que seja o meu tio, uma vez que é o irmão da minha madrasta.

O meu filho é, portanto, o meu tio...

A mulher do meu pai teve no Natal um rapaz que é, ao mesmo tempo, meu irmão, uma vez que ele é filho do meu pai, e meu neto por ser o filho da minha enteada, filha da minha esposa. Desta maneira sou o irmão do meu neto!!...

E como o marido da mãe de uma pessoa é o pai da mesma, verifiquei que sou o pai da minha esposa, e o irmão do meu filho.

Resumindo: sou o meu avô!!!

Deste modo, Sr. Ministro, peço-lhe que estude pacientemente o meu caso, porque a lei não permite que o pai, o filho, e o neto sejam chamados à tropa na mesma altura.

Agradecendo antecipadamente a sua atenção, mando-lhe os meus melhores cumprimentos."


Agradece-se à Catarina Durão Barroso o envio do texto :)

domingo, novembro 19

Debate Esquerda/Direita

Na próxima 5ªfeira, dia 23 de Novembro, pelas 21h, no Salão Nobre da Junta de Freguesia do Lumiar, terá lugar um debate subordinado ao tema "Esquerda/Direita: qual a diferença nos dias de hoje?", no qual terão assento representantes da Secção do Lumiar da Juventude Social-Democrata (promotora deste evento) e da Juventude Socialista.


Entrada livre.



Nota: A ausência de mais juventudes políticas neste debate deve-se ao facto de a Secção G da JSD Lisboa não ter recebido qualquer resposta aos convites dirigidos.

sábado, novembro 18

Numa saudade de amigos que não partem...

O meu amor tem lábios de silêncio
e mãos de bailarina
e voa como o vento
e abraça-me onde a solidão termina

o meu amor tem trinta mil cavalos
a galopar no peito
e um sorriso só dela
que nasce quando a seu lado eu me deito

o meu amor ensinou-me a chegar
sedento de ternura
sarou as minhas feridas
e pôs-me a salvo para além da loucura.

o meu amor ensinou me a partir
nalguma noite triste
mas antes, ensinou-me
a não esquecer que o meu amor existe

Jorge Palma

sexta-feira, novembro 17

Dá sempre jeito...

Café São Bento

Preços: Até 25 euros

O Café São Bento não é, ao contrário do que o nome poderia deixar adivinhar, mais um local típico de Lisboa. É que este restaurante segue o conceito de pub anglo-saxónico e a sua ementa inclui apenas bifes, elaborados de três maneiras diferentes: à Marrare, à Portuguesa e Grelhado. Um local acolhedor a memorizar pelos que têm horários pouco ortodoxos. Este é o local ideal para jantares tardios a preços bastante comedidos.

18h/2h

Encerra Domingo

terça-feira, novembro 14

Hoje eu posso escolher

"Hoje levantei-me cedo a pensar no que tenho de fazer antes que o relógio marque meia noite.

É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.

Posso reclamar porque está a chover ou agradecer às águas por lavarem a poluição.
Posso reclamar sobre a minha saúde ou dar graças por estar vivo.
Posso queixar-me dos meus pais por não me terem dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.
Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter um trabalho.
Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus pela oportunidade da experiência.
Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.
Se as coisas não sairam como planeei, posso gastar os minutos a lamentar-me ou ficar feliz por ter o dia de hoje para recomeçar. O dia está à minha frente, à espera de ser vivido da maneira que eu quiser.

E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma às ideias e utilidade às horas.
Tudo depende só de mim."

Charlie Chaplin

domingo, novembro 12

Menú Degustação

"Religiões deviam ser proibidas"

O cantor britânico Elton John defende que as religiões deveriam ser proibidas pela sua falta de compaixão e o seu ódio em relação aos homossexuais.
O artista, homossexual assumido, foi entrevistado para uma edição especial do «Music Monthly Magazine» da revista The Observer, que saiu este domingo para as bancas.
No decorrer da entrevista, Elton John fala sobre vários assuntos, desde a sua condição de ícone da música até à postura do primeiro-ministro britânico, Tony Blair, sobre a guerra do Iraque.
«Acho que as religiões sempre tentaram atrair o ódio para os homossexuais. Do meu ponto de vista, proibiria completamente as religiões», declarou, de acordo com a revista.
Num momento em que a religião é alvo de forte debate no Reino Unido, centrado no direito de usar o véu muçulmano ou outros símbolos, Elton John criticou a falta de liderança demonstrada, segundo ele, pelos líderes religiosos.
«As religiões organizadas não parecem funcionar [...]. O mundo está à beira da Terceira Guerra Mundial e onde estão os líderes de cada religião?», questionou.
«Por que não convocam um conclave? Por que não se reúnem? Eu já disse isso depois do 11 de Setembro e as pessoas pensaram que eu estava louco. Em lugar de mais violência, por que não há uma reunião de líderes religiosos?», insistiu.
«É como o movimento pacifista dos anos 60. Os músicos comunicavam com as pessoas, saindo e fazendo espectáculos pela paz, mas já não fazemos isso», acrescentou. «Se John Lennon estivesse vivo, estaria a liderar [esse movimento] com vontade.»
in Diário Digital
Grande Elton, para o que é nos vais alertar a seguir? Para o desconhecido perigo do aquecimento global?
É de assinalar nesta entrevista a segunda frase sublinhada. Repare-se como Elton John nos direcciona para a urgência de uma reunião de líderes religiosos, coisa que já o tinha feito! Esta subtileza como quem diz «eu bem vos avisei!» só nos leva a constatar a perspicácia do músico. O que seria de nós sem Elton John?
De destacar também o papel vingativo de todas as religiões.

quinta-feira, novembro 9

Que bela dona de casa!

Estava aqui sozinho em casa, sem grande coisa que fazer, e encontrei o saco de educação física. Como amanha tenho aula logo de manhã e como preciso de uma notinha simpática para acabar o ano, lá resolvi que – excepcionalmente – irei levantar me cedo e ir fazer a porcaria da aula.

O engraçado veio depois: como ontem não pus as coisas na máquina tive que as lavar hoje á mão. Tirei a bela da T (branca), os calçonetes (brancos), os peugos (azuis-escuros) e a bela da slip interior (preta). Meti tudo em banho-maria e adicionei uma coisa para lãs – á falta de melhor – com cheiro a rosa. Achei que a bela da slip interior assim como todo o meu equipamento gímnico ficariam bem se cheirassem a rosa, numa tentiva – falhada, digo eu – de purificar os ares suados quer da ginástica, quer do resto.

Do que esta fantástica fada-do-lar com cheiro a rosa não se lembrou foi que a roupa preta não se junta com a branca. Ora qual não é o meu espanto quando o meu imaculadamente branco equipamento gímnico saiu de lá com um duvidoso tom beije. Fiquei extremamente desgostoso. Oh! Máquinas de lavar! Oh! Tambores rotativos! Oh! Produtos para lã com cheiro a rosa! R-r-r-r-r-r-r-r – faz a maquina. Chalp- chalp- chalp – faz água!

E agora deixo-me de devaneios campesianos que tenho forno ligado para por os meus trapinhos a secar.



P.S. Mais tarde vim a descobrir que o forno encolhe a roupa. Parece que amanhã já não faço educação física…

quarta-feira, novembro 8


Um refúgio em Lisboa...

segunda-feira, novembro 6

Comunicado

À semelhança de Miguel Sousa Tavares também eu me vejo num conflito de direitos de autor, e tenho que confessar que o Inspector MACS ®™ é uma marca registada de P.H.S.S. e da sua exclusiva autoria. Deste modo não alimento mais polémicas, retirando assim das bancas uma aventura que a pouco e pouco se vinha tornando no livro de cabeceira de todos os portugueses.

Um sincero perdão e um “não volto a repetir” não tão sincero,

Mike

domingo, novembro 5

Cada vez mais vamos aprendendo a construir, começando pelas coisas mais simples, progredindo até às mais complexas. Em ambas encontramos aquela vontade de criar e ver evoluir algo, em ambas encontra-se presente o nosso espírito empreendedor. Em ambas se quer fazer o melhor, dar o nosso máximo. Em ambas queremos aprender construindo...

quinta-feira, novembro 2

Hoje...

Peço desculpa pela falta de originalidade, mas, hoje, apetece-me voltar a publicar este post.


Hoje, mais do que ontem, deparo-me com importantes decisões a tomar na minha vida. São decisões, muitas delas, a longo prazo e, deste modo, de mim requerem vagar para sobre elas reflectir e ponderar as implicações que terão no meu futuro.

Estas decisões têm também contribuído para uma maior consciencialização do que se passa à minha volta. Hoje, mais do que ontem, a maturidade começa a ser mais palpável e os ombros já vão aguentando alguma maior responsabilização. Neste sentido, tenho vindo a levar mais a sério as escolhas que faço - por mais irrelevantes que possam aparentar ser.

Estas escolhas têm-me ajudado a discernir melhor aqueles que são os amigos e os grandes amigos, pois para todos eles olho e vejo com que olhos olham o mundo. Tenho-me apercebido da realidade em que vivem e em que pretendem viver, até que ponto reconhecem as suas qualidades e com que cara enfrentam os seus defeitos. Hoje, mais do que ontem, mais do que olhar, tenho observado.

Com estas escolhas, tenho percebido o que é um grande amigo.

Mais do que a comunhão de valores, de estilos de vida ou de interesses em geral, um grande amigo constitui um sinal daqueles que há tanto procurava. São sinais que nos mostram - e que sempre estiveram aqui para serem vistos a partir do momento em que fossem observados - aquilo que queremos para nós e aclaram-nos o percurso a seguir. Aclaram. Não apontam. Nos grandes amigos vê-se um pouco de Deus e a cara da luz.

Ser um grande amigo é uma responsabilidade. É a responsabilidade de saber e conseguir ser um sinal de Deus, revelando-se tal como é, partilhando a sua fé e acreditando veemente na outra pessoa.

Por tudo isto, tenho consciência de que as amizades que ganho hoje têm condições para perdurar amanhã pois acabam por ter mais valor por terem sido tão bem pensadas numa altura tão decisiva. Hoje, mais do que ontem, os grandes amigos são mais precisos e devem ser trazidos em vasos de barro.

quarta-feira, novembro 1

"É à noite que é bonito acreditar na Luz."



Edmond Rostand
Descobri esta citação em epígrafe no blog A Capela.