quinta-feira, março 30

Hoje:

"O homem inventou as regras para os outros e as excepções para si próprio".

segunda-feira, março 27

A casta de 27/03/89

“Todas as idades têm os seus frutos, mas é preciso sabê-los colher.”
Raymond Radiguet
Diria que esta colheita não tem sido má…

domingo, março 26

Resumo de 3dias

JESUS TAMBÉM É MALANDRO!

by miúdo de 12anos :)

sexta-feira, março 24

Só mais 7 dias para:
























Sir Lawrence Alma-Tadema: Resting

terça-feira, março 21

Padecimento

Olho inchado, nariz entupido, braço magoado, perna direita dormente, sono, cansaço. Sim, pronto para mais um dia de escola!

segunda-feira, março 20

Ah, é verdade, ontem foi dia do pai

PAI







Pessoas diferentes...










Brincadeiras diferentes...










Lições diferentes...















Culturas diferentes...













Momentos diferentes...






Mas o sentimento é sempre o mesmo!

sábado, março 18

(não) amigo!

Aquele olhar não volta mais...

Caímos. Falhamos. Quando as pessoas não confiam, não há sentido. Vive-se à deriva.
Erra-se. O erro passa. As consequências doem. As mazelas cicatrizam.

Aquele olhar não volta mais...

Uma coisa sem sentido, um não pensamento, e tudo se desmorona. Há imensa magia que se afoga, há imensos pormenores enterrados, demasiadas feridas para sobreviver. Há pontes que se passam, passos que se passam, e dos quais não dá para voltar atrás. Há marcos que marcam, como ferro em brasa, em carne viva.

Aquele olhar não volta mais...

Se somos quem somos, tal e qual como somos, porque é que uma vez que caímos nos veêm diferentes? e porque é que não dá para voltar atrás? Nós somos Perdão, somos Amor, quem cai e se levanta, caminha, aquele que só viu quando esteve de pé, que não vê quando está na lama, quando está caído, se calhar nunca viu, ou não sabe ver. Se não viu ou não sabe ver, talvez não deva, mesmo, ver, nunca... se vê deve ser renegado, porque não tem intresse, perdeu-o quando não ajudou a levantar, quando não viu, quando não olhou. Não vendo, não tendo, não é. Que doce engano este, de ser que não é; de ser que não vê; de ser que não tem; triste tristeza infinita que terminou hoje, agora, e por mim aqui

Aquele olhar não volta mais...

Eheheheh!


Acontece a todos.....

sexta-feira, março 17

Adrenalina.
Hoje parece ser um dia especial (sui generis) mas...
Um dia.
Igual a tantos outros.
Não me sinto diferente.
Sou o mesmo...
Amo o mesmo e da mesma maneira!
Sou o mesmo.
(expira)
as coisas mudam por si mesmo e não quando nós queremos mudá-las!

quinta-feira, março 16

OS MAIAS CONTRA-ATACAM!

Mais imorais, furiosos e armados que nunca! Os Maias voltam ao ataque! Na primeira série temos a história de Carlos um serial-killer que tenta vingar a morte de Afonso às mão do Conde de Steinbroken e das suas melodias finlandesas. Esta sequela é a continuação de um combate épico que opõe as forças do Ramalhete contra a fidalguia do Price e da Casa Havanesa.
Com aliados de peso como Ega, com a sua assustadora guedelha, e Alencar (ou Alenquer para outros) com os seus potentes versos, Carlos tem a derradeira tentativa para exterminar um Conde que se torna relutante em morrer!




Estreia 2ªa-feira no 11ºD, não perca!

quarta-feira, março 15

Ponto final

Venho cá todos os dias.
Leio os posts do pessoal e lembro-me que também tenho que escrever qualquer coisa.
A malta nos corredores pergunta se já desisti da magnólia, e do quebra-gelo, e de continuar a dizer aquilo que me passa pela cabeça.
Pois não desisti. Acho eu.
Simplesmente estou cansada!
Queria ter escrito sobre o fulgor de Roma
e talvez também sobre a noite XL
Mas não fiz nada disso...
Porque ando assim, cansada!
Não é cansaço de nada em especial, é cansaço só assim ele mesmo, no seu esplendor!
Cansaço.
E por isso não faço nada que não tenha mesmo que fazer.
Só tenho que me mentalizar
que tenho mesmo que fazer isto.
Começo hoje.
Ponto final

.

terça-feira, março 14

Eu (por acaso) vou...

Queria só aqui gastar umas palavrinhas acerca desse grande evento do rock que aí se aproxima, o Rock in Rio 2006.
De facto, e com um vale que pode ser trocado por um bilhete, eu posso considerar-me um dos sortudos que irá participar nesse enorme evento.
No entanto, não posso deixar de expressar algum desapontamento relativamente ao cartaz dos artistas para este ano de rock. No palco mundo perfilarão artistas como Jota Quest, Anastacia, Shakira, Rui Veloso, Guns n' Roses, Red Hot Chili Peppers, Xutos e Pontapés, Roger Waters, Da Weasel ou Santana.
Vou começar a expressar a minha opinião acerca das bandas:

Jota Quest - Pop brasileiro, música light e descontraída, no entanto sem nível para eventos desta magnitude, música de novela por assim dizer;

Anastacia e Shakira - estas senhoras incluem-se num grupo musical do qual eu sinceramente não sou grande apreciador (a cultura pop). Não percebo o que fazem num evento cujo o nome começa por ROCK, mas pronto. Gostaria no entanto de, como diz um amigo meu, vê-las noutro tipo de situações...

Rui Veloso - Tem valor e este senhor da viola fará as delícias numa calma noite de Verão...

Guns n' Roses - Uma grande banda no seu tempo porque actualmente só o vocalista permanece o mesmo e o nome também, sendo que os restantes artistas são totalmente diferentes de grandes nomes como Slash ou Adler...

Red Hot Chili Peppers - São o que para mim salva o festival. Uma grande banda internacional, com grandes músicas, uma grande energia e muito talento e um senhor chamado Chad Smith a fazer maravilhas na bateria...

Xutos e Pontapés - Um grande sucesso em 2004, prometem arrasar com o parque da Belavista...

Roger Waters - O fundador dos Pink Floyd e senhor de uma boa sonoridade e muita destreza musical, não é bem o meu estilo.

Da Weasel - Eu só pergunto: Os Da Weasel não são uma banda de hip-hop?

Santana - Grande músico com um grande trio de percursionistas, do qual se destaca inevitavelmente Dennis Chambers mestre na arte dos ritmos...

Assim, e como podem ver, estou um pouco desmoralizado com o cartaz deste ano. Faltam ainda algumas bandas por anunciar mas realmente só tenho uma pergunta: Que é feito das bandas com rock de bradar aos céus, com boas doses de loucura e donas de uma poderosa sonoridade? Não é isso o rock?

sábado, março 11

Acontecimento

Feira Mística em Lisboa de 19 a 21 de Maio

A Estufa Fria vai receber de 19 a 21 de Maio a Feira Mística - Lisboa 2006. O evento conta com alguns expositores de venda de produtos e consultas no local.
O mentor e produtor da tradicional Feira do Oculto, Paulo Sousa, regressa agora com a organização desta iniciativa que tem como objectivo desmistificar o universo esotérico e dinamizar o sector.
Os visitantes terão acesso ao lançamento em exclusivo de produtos e novas actividades do ramo e, entre as 14:00 e as 23:00 horas, alguns profissionais da área estarão disponíveis para realizarem consultas ao público.
Os interessados poderão assistir também a algumas animações interactivas propostas pela organização que pretende que o aspecto lúdico também esteja presente na Feira.

in Diário Digital


A pergunta que se coloca: Contará este evento com mediums de grande projecção internacional como Professor Karamba ou Professor Bambo?


P.S:Por acaso estou mesmo a imaginar uma senhora já de certa idade a dirigir-se a uma barraquinha e dizer:
-Desculpe, mas é que me lançaram um mau olhado há uns dias e eu ando um pouco perturbada. Será que não me podia dar uma vista de olhos?
Ao que o indivíduo responsável pela barraquinha do oculto responde:
-Perdão mas aqui só tratamos de Cartomancia e Quiromancia. A barraquinha das maldições é mais à frente, logo a seguir à tenda do Harry Potter...

quinta-feira, março 9

A Esperança


"Hoje, como ontem, vamos provar que somos capazes de vencer a tirania da resignação e o espartilho do pessimismo."

Aníbal Cavaco Silva (9-III-2006)

Desumanizado...



So(u)mos fraco(s).
Não sei. Até sei.
Muitissímo bem, bem, bem, mesmo bem.
O caminho, mas falta sempre tanta coisa. Principalmente aquelas que já temos em nós. Principalmente aquelas que escondemos com o véu do virgem coração. Principalmente aquelas que desculpamos com desculpas que não o são.
Sabemos.
Sempre soubémos. Mas falta. Falta mesmo. A coragem, a fé, a confiança (em tudo) falta.Romper. É difícil. Com tudo, ainda mais. Com aquilo que é fácil, mais ainda. Temos consciência. Piora. Porque somos fracos. Sabendo que o somos.
Falhamos...falhamos...falhamos!

quarta-feira, março 8

Estudar...

De momento encontro-me a estudar. É algo complicado que exige coordenação, concentração e treino.






Falem das matemáticas e dessas disciplinas, falem...

terça-feira, março 7

Eles "andem" aí...

E eis que quando menos se esperava surgem-nos eles pela porta da sala, sem apelo nem aviso.
Impiedosos e matreiros, quem são eles?




...os exames!!!!

sexta-feira, março 3

Já pensaram...

Sempre que estou a ver televisão sou imediatamente bombardeado com anúncios a incitar-me a mandar um SMS a dizer POEMA para o 3939 e coisas do género. Farto de tantos apelos, pego no meu telemóvel e mando a dita mensagem para o referido serviço. Deparo-me com um excerto de um poema que havia de ser com certeza de grande magnitude lírica:

"Quando olho para ti fico contente,
respiro-te, desde os pés até à mente,
mas infelizmente,
tudo o que quero dizer é indecente."


E pronto. Fiquei a olhar para o aparelho até o meu espanto se transformar em sonoras gargalhadas que foram interpretadas como gritos de sufoco e auxílio.
Depois de reflectir acerca das sábias palavras que me foram enviadas coloco apenas uma questão:Quem será o poeta escondido por detrás destes poemas? Será uma estrela em ascensão? Porque não escrever um livro em vez de se contentar com os anúncios da televisão onde nem sequer aparece? Será que tem condições para ombrear com os grandes poetas lusos?
São quatro perguntas mas esqueçamos isso. Imagino claramente o escritório deste senhor consistindo numa frágil mesinha de canto com uns rascunhos pousados sobre ela. Nesses rascunhos encontram-se pérolas como "..o teu canto é um encanto"," quero-te amar até o céu acabar" ou ainda "espero por ti, quando disse que te amava não menti".
Tragam este indivíduo para uma posição de primazia na vida cultural portuguesa porque estes poemas são demasiado virtuosos para serem enviados por SMS

quinta-feira, março 2

Perder

Ultimamente tenho andado a perder. Perco momentos, perco capacidades, perco emoções, perco pessoas, perco em todo o sentido da palavra.
Uma palavra que vem directamente com o sentimento de perda é "desforra", mas o mais preocupante é que não sinto a necessidade de uma desforra e isso faz-me concluir que estou uma vez mais a perder a vontade. Não sei, talvez sejam só devaneios de quem está confuso ou de quem já não se importa com a perda, mas sei que noutra altura talvez quisesse uma desforra da vida, uma oportunidade para começar de novo. Agora resigno-me. Porquê? Não sei. Se o soubesse talvez estivesse em posição de o combater e vencer, agora, estou sentado, impávido e imóvel, à espera de que resolvam as coisas por mim ou que elas se resolvam por si mesmas.
É estranho ver os outros à nossa volta a evoluir e nós ficarmos na mesma, nas mesmas decisões e problemas que aparentemente são insignificantes mas que, por causa dessa sua insignificância, tendem a aparecer e a aborrecer-me muitas vezes.
Não escrevo poesia, não escrevo coisas bonitas, não escrevo textos agradáveis, nem é minha intenção agradar os outros pela forma como escrevo, apenas filtro os meus pensamentos para um dispositivo artificial que os codifica através de signos que entendemos como palavras. Palavras. Faltam-me palavras para alimentar a minha desforra. Palavras minhas e de outros.

quarta-feira, março 1

Mascaradas

Palhaços, astronautas, zorros, punks, cowboys, princesas e outros que tais...o Carnaval em Portugal é muito animado, só mesmo ultrapassado pelo seu congénere brasileiro.
De facto, é interessante ver o país parar para festejar uma festa em que todos nos mascaramos daquilo que mais gostamos ou que achamos piada.
O que é giro é que em Portugal esta festividade prolonga-se durante todo o ano e as figuras cómicas e alegóricas permanecem por todo o lado. Temos assim uma "vantagem" relativamente aos nossos irmãos do Carnaval brasileiro, ao contrário deles, somos palhaços todo o ano...