terça-feira, maio 30

Silêncio...

Cada vez menos há silêncio, já nem há o silêncio silêncio... ou talvez haja, é desse silêncio que rara, que escrevo...

O silêncio não é mau. O silêncio é de ouro. O silêncio não constringe. O silêncio é de mim para ti. O silêncio significa. O silêncio que esclarece. O silêncio dignifica. O silêncio confia. O silêncio é mais...

Tudo o que dizemos com o brilho dos olhos, é silêncio. Tudo o que dizemos com o palpitar do coração, é silêncio. Tudo o que significa o caminhar inseguro, é silêncio. Tudo o que vemos, pensando, é silêncio...

Este silêncio que respeito profundamente, amo-o, é expressão bela, verdadeira, não há nada a não ser aquilo que é, silêncio...

(reconforta...) por todas as vezes que ele falta a tanta gente, oiçam-no, dignifiquem-se escutando-o, e assim ele não rara mais...
existe...

Mundial 2006


Publicidade, em Munique, ao Mundial de Futebol de 2006

domingo, maio 28

As aparências iludem

Suponha que tinha de eleger o Presidente do Mundo e o seu voto era determinante. Tenha então em atenção os dados dos três principais candidatos:
  • O candidato A está associado a políticos corruptos e consulta astrólogos.Tem duas amantes. Fuma como uma chaminé e bebe oito a dez Martinis por dia.
  • O candidato B já foi destituído duas vezes, dorme até ao meio-dia, fumava ópio na escola e bebe um quarto de litro de whisky todas as noites.
  • O candidato C é um herói de guerra condecorado. É vegetariano, ocasionalmente toma uma cerveja e nunca teve casos extraconjugais.
Entre esses três candidatos e perante os dados fornecidos, honestamente, qual escolheria?

Possivelmente o candidato C...

Fique então a saber que o candidato A era Franklin Roosevelt, o candidato B era Winston Churchill e o candidato C era Adolf Hitler...


Pelo sim pelo não, sigamos as ideias que os regem (quando as há)...

Rock in Rio





sexta-feira, maio 26

(Do outro lado do globo...)

A chegada deste barco de guerra australiano a Timor (para ajudar a controlar a situação) é testemunhada por quem apenas conhece o Mar e cuja ingenuidade e pureza os devia alhear de tudo isto.


(...mas tão perto)

quarta-feira, maio 24

Pôr-do-Sol


Ah! principezinho, assim fui compreendendo a tua vida melancólica. Durante muito tempo, apenas a doçura dos poentes te servira de distracção. Tomei conhecimento deste novo pormenor no quarto dia, de manhã, quando me disseste:

- Gosto muito do pôr-do-sol. Vamos ver um pôr-do-sol...

- Mas é preciso esperar...

- Esperar o quê?

- Esperar que o sol se ponha.

A princípio ficaste muito surpreendido e depois riste-te de ti próprio. E disseste-me:

- Julgo sempre que estou no meu sitio!

Com efeito. Quando é meio-dia nos Estados Unidos, o Sol, toda a gente o sabe, põe-se em França. Bastava ir a França num minuto para assistir ao pôr-do-sol. Infelizmente a França fica muito longe. Mas, no teu planeta tão pequenino, bastava-te afastar a cadeira dois ou três passos para trás e contemplavas o crepúsculo sempre que o desejasses...

- Um dia, vi o pôr-do-sol quarenta e três vezes!

E, algum tempo depois, acrescentavas:

- Sabes, quando se está muito triste, gosta-se do pôr-do-sol...

- Então no dia das quarenta e três vezes estavas assim tão triste?

Mas o principezinho não respondeu...

terça-feira, maio 23

Confusão

Aquele disse-me que me conhecia bem, mas provou que não ao dizer que o Outro tinha dito Algo de mim. O Outro disse que Aquele estava a mentir e não tinha dito Algo sobre mim e que Ninguém tinha dito isso. Fui falar com Ninguém e Ninguém disse-me a história toda ao contrário...






A minha vida parece os Morangos...e isso assusta-me...

segunda-feira, maio 22

Hoje, desiludiram-me...

Incentivo à Natalidade

Não tem sido apanágio deste blog fazer propaganda política e, neste sentido, o que seguidamente apresento é apenas a síntese de uma proposta da distrital de Lisboa da Juventude Social Democrata (JSD).

A JSD Lisboa não se conforma com o facto de a Taxa de Natalidade em Portugal ter baixado para metade em quarenta anos nem tão pouco com as fracas propostas do Governo liderado por Sócrates para resolver esta problemática.

Por entender que política de natalidade em Portugal não pode ser defendida com medidas avulsas e instrumentais de outros objectivos a montante, a Comissão Política Distrital de Lisboa lançou recentemente uma campanha denominada "Por uma verdadeira política de natalidade em Portugal". Esta campanha teve início na entrega de uma proposta ao Grupo Parlamentar do PSD e é apoiada por vários outdoors colocados na cidade de Lisboa.

No leque de medidas apresentadas na proposta da JSD Lisboa destacam-se:
· a introdução do Cheque Pré-Escolar;
· a aplicação de taxa reduzida do IVA a todos os bens de primeira necessidade para as crianças;
· o aumento (em sede de IRS) da dedução de despesas de educação para famílias com 2 filhos ou mais;
· a implementação de normas que impeçam a discriminação dos pais que encontram dificuldades no retorno aos seus postos de trabalho.

sábado, maio 20

Eis-nos finalmente chegados ao ponto de partida...


Hoje é o começo de uma vida nova.

Compromisso, responsabilidade, força, coragem.

Porque o recebemos do Espírito Santo.

Para que nos deixemos guiar pela Sua luz.

Estou pronta!

Hoje é o começo de uma vida nova.



De um caminho novo.

Alegria plena...

Os olhos de Deus jamais se podem esquecer...
Os olhos de Deus são O que hoje.

O hoje começa e começa o que nunca quero perder...
O hoje não chega, quero me entregar todo, sempre, tudo...

Agora sei que habitas em mim
Agora sei que me transformas.

Amanhã, agora, não sou já o mesmo,
sou o que tu és em mim...

sexta-feira, maio 19

A Ti agradeço
por tudo

quarta-feira, maio 17


Nasce... Um livro, a concretização de um Homem. São de que fala, histórias que conta, de uma cidade com muita gente, com muitas coisas para contar, muitas coisas para saber, muito coisa, de muitas maneiras... Historias publicadas, aqui, na blogosfera, alguns em http://rspiff.blogspot.com/
Historias com valor editado, um caso de sucesso blogistico...

Ainda não foi lançado, pelo que tem aqui a noticia de ante mão... todos os exemplares que desejarem peçam-nos por aqui que têm direito a dedicatoria...
Se calhar, valia a pena saberem o que nao sabem...

A trivialidade das ocorrências ou a oportunidade de as engrandecer

Cada vez mais me convenço que as coisas não acontecem por acaso.

Nada acontece por acaso. Tudo tem uma razão de ser.

Os mais insignificantes momentos, as mais vulgares ocorrências são profícuas oportunidades que Deus nos dá para pormos em prática determinados ideais, exteriorizarmos sentimentos, sermos nós próprios, entregarmo-nos. Estes são sobretudo momentos para vivermos a nossa comunhão com Ele e com os outros e termos a graça de transformar essas inicialmente vulgares ocorrências em momentos absolutamente marcantes para nós e para todos aqueles que da nossa vida fazem parte.

São estes os meus votos.

Tenho dito.

terça-feira, maio 16

O Céu:

De uma varanda I. "Despertar"

De uma varanda II."Adormecer"

De uma varanda III. "A fuga"


De uma varanda IV. "Concentração"

De uma varanda V."Uma torre no céu"

Do avião I."Caminho pelo céu."

Do avião II. "Terra das Nuvens"



Do avião III. "Cercado"
Aos que querem chegar mais acima.
fotografias de Mike

segunda-feira, maio 15

JESUS, AMO-TE!

Passada está a questão da Geografia,
e posso agora afirmar com toda a certeza,
que esta mania da poesia,
é só para despertar a minha moleza.

Moleza a escrever,
moleza a postar,
rima fácil de ler,
e fácil de comentar.

Prometo agora não desperdiçar espaço,
com poemitas de caracacá,
e que a postagem que eu faço,
seja sempre de nota A.

domingo, maio 14

Curiosidade:

Na final da Taça de Portugal,entre FC Porto e Vitória de Setúbal, quando se cantou o Hino Nacional, só os adeptos o entoaram. Os jogadores, por ignorância, ou por talvez serem quase todos brasileiros permaneceram calados ou a fazer algumas preces pré-jogo. É caso para perguntar:
Porque é que não mudam o nome Taça de Portugal para Taça Intercontinental?

A propósito de Fátima: "Religião - promessas e ópio?"

Transcrevo um artigo do padre Anselmo Borges (também professor de Filosofia na Universidade de Coimbra) publicado no Diário de Notícias de hoje. Lamento a extensão do texto, mas penso que dele é possível extrair alguns comentários importantes e que nos ajudarão a reflectir sobre a vivência da nossa Fé.


Entendo - ou julgo entender - as promessas a Nossa Senhora de Fátima, ao Santíssimo Sacramento, ao Senhor dos aflitos ou aos santos.

Habituadas a verem a sobrevivência, a saúde e a sua vida em geral dependentes de senhores e senhoras "omnipotentes", egoístas, arbitrários e tiranos, as pessoas atiram para cima de Deus todos esses atributos. Então, como diante dos senhores deste mundo se põem de joelhos, oferecem como presente o que lhes faz falta, metem cunhas - como é que os pobres chegam a uma operação no hospital sem uma cunha? -, também fazem promessas a Deus e a Nossa Senhora, andam de rastos, oferecem sacrifícios, na esperança de que talvez desse modo Deus e a Nossa Senhora se comovam e tenham compaixão.

Num diálogo com Óscar Lopes, em 1970, no Seminário da Boa Nova, Valadares, sobre a crise da fé, D. António Ferreira Gomes, cujo centenário do nascimento se comemorou no passado dia 10, deixou um pronunciamento polémico. Referindo-se à religião de Fátima, disse: "Sabemos que para baixo de Fátima ainda há todo o culto mágico que, tomado a sério, é uma ofensa profunda a Deus, porque na realidade a magia está a embotar o sentimento religioso do povo. A magia é uma vontade de encadear, de prender as forças sobrenaturais, consideradas mais como malignas do que como benéficas. Ora, isto, em relação à religião cristã, é a maior ofensa que se pode fazer a um Deus de bondade. Mas nós lidamos com isto, lidamos com a religião utilitária, do 'dou para que dês'. Eu prometo, eu faço uma promessa para que Deus me faça isto ou aquilo. Faço um negócio, um contrato. E para quê? Evidentemente, para a vida, para a saúde, para o dinheiro, para isto tudo. Ora, isto, com muita piedade e muita fé no nosso povo, isto não é religião cristã de forma nenhuma."

Já antes, no início da sua intervenção, o então bispo do Porto - voltar ao seu pensamento é homenageá-lo no melhor sentido - referira que tinha uma definição de fé que achava muito boa. Ela encontrava-se numa cartinha breve em que Óscar Lopes lhe dizia que a sua participação na Mesa-Redonda (houve outros participantes, como Luís Moita e Bento Domingues) seria "um depoimento na primeira pessoa do singular acerca daquilo que durante 50 anos julgo ter crido a partir dum fervoroso catolicismo de infância. Apenas desejaria descobrir o melhor de mim mesmo no melhor catolicismo de hoje, e contribuir para tudo aquilo que deveras nos transcende". D. António comentou: "Eu tenho para mim que quem procura pôr-se deveras em relação com aquilo que nos transcende está numa atitude religiosa." E, voltando-se para Óscar Lopes: "Desculpe, senhor doutor, se o ofendo." E Óscar Lopes: "De modo nenhum!"

D. António constatou: "Nós sabemos que a maior parte da nossa boa gente não transcende." E estava completamente de acordo com Óscar Lopes, ao referir a palavra de Marx sobre a religião, ópio do povo. "Segundo me pareceu, disse que Marx foi transformando um pouquinho o seu conceito, mas não penso que precisasse de reformá-lo, pois a religião é realmente muitas vezes ópio para o povo. A religião pode realmente ser ópio do povo. Não é uma palavra de insulto. Evidentemente, não é uma palavra ofensiva na medida em que se não refere ao cristianismo nem a Cristo que continua vivo no Espírito. Mas, repito, muitas vezes para o povo a religião no geral não significa nada de transcendente."

A atitude religiosa aparece, portanto, no movimento do transcender do homem para o transcendente. Onde se encontra então o que é próprio do cristianismo?

D. António afirmou que poderíamos adoptar a linguagem de Bonhoeffer, o teólogo protestante mártir do nazismo, e aceitar que o cristianismo não é religioso, na medida em que o Deus revelado em Cristo não serve para nos solucionar problemas insolúveis e os homens têm de arranjar-se autonomamente sem apelarem para Deus.

O Deus cristão não é ópio nem um deus ex machina com que se negoceia promessas. Ópio e promessas - isso é o religioso que está para baixo. "A religião cristã, entretanto, o limiar diferencial da religião cristã começa quando alguém se debruça sobre o outro, quando alguém se volta para o que o transcende, seja o outro neste mundo, seja Deus enquanto o Outro absoluto, sabendo que a relação ao Outro absoluto é exactamente também a relação ao irmão."

O amor a Deus e o amor ao próximo são um só e têm de exprimir-se também na política. "Nenhum homem responsável da Igreja poderá dizer que não quer saber de política ou que nada percebe de política."

Anselmo Borges, in Diário de Notícias

Quanto a este artigo, queria deixar algumas observações.

Por um lado,
  • Compreendo a visão apresentada no que toca à relação que aparentemente existe entre as pessoas e as promessas. Ao fim ao cabo, as pessoas acabam por querer "pagar" acções apenas realizáveis pelo "transcendente", praticando a designada "religião utilitária, do 'dou para que dês'"
  • Neste sentido, a religião acaba por perder muito do seu valor e vai culminar numa religião "nada de transcendente", em que parece que não há uma proximidade entre Deus e as pessoas - a chamada de "ópio" por Karl Marx e corroborada, de uma forma um pouco desvirtuada, por D. António Ferreira Gomes

Por outro lado,

  • Muitas das peregrinações a Fátima apenas procuram mostar a gratidão dos fiéis a Deus, não sendo o cumprimento de uma promessa, mas o simples desejo de fazer notar esse reconhecimento
  • Fátima, como local de culto que é, ultrapassa o mero cumprimento de promessas, logo não se pode restringir a Fátima as pessoas que percorrem quilómetros em condições pouco aconselháveis
  • A vivência de cada um com Deus apenas diz respeito, justamente, a cada um de nós e a Deus, logo, a exteriorização da Fé de cada um não é reveladora da sua maior ou menor religiosidade

sábado, maio 13

Compreensão

Um ser amado que desilude.
Escrevi-lhe.
É impossível que não me responda
aquilo que eu disse a mim mesma
em seu nome.

Os homens devem-nos
o que imaginamos que nos vão dar.
Pagar-lhes esta dívida.

Aceitar que sejam diferentes
das criaturas da nossa imaginação,
é imitar a renúncia de Deus.

Também eu sou diferente
daquilo que imagino ser.
Saber isto,
é perdoar.

Simone Weil

Num dia em que me sinto poético:

Estudar é sempre a mesma cena,
obrigam-nos a decorar,
da página maior até à mais pequena,
não importa o que lá esteja a enfeitar.

O aborrecimento invade-me,
a preguiça também,
só me apetece queimar o livro,
ou dá-lo a alguém.

Acontecimentos enfadonhos,
datas insignificantes,
penteados medonhos,
no livro de História são uma constante.

Transportes e comunicações,
juntamente com as pescas,
é a Geografia e as suas lições,
esquecê-las seria uma festa.

Do Inglês não menciono nada,
porque me pode sair algo pior,
é melhor manter a boca calada,
e atirar os livros para o contentor.

Português até é giro,
é pena a gramática,
que nos abala como um tiro,
e deixa a nossa mente reumática.

Se há coisa que eu não percebo,
é porque temos Matemática,
se temos calculadoras,
não percebo a problemática.

Agora vou filosofar,
e centrar-me na construção das premissas,
as mil e uma formas de pensar,
ensinar o padre a dizer a missa.

Em suma,
estudar é um alíbi,
para se no emprego nos criticarem,
dizemos: "Ah, mas eu aprendi aqui!"

sexta-feira, maio 12

Post verde




Este é daqueles que vai para o lixo comum...

.

.

.

.

.

(ou para evitar tudo isto, poupe as próprias árvores... e o seu espírito)

Um rasgão no céu...

quinta-feira, maio 11

Agora quero:

Fazer música.

quarta-feira, maio 10

3 meses e meio depois...


"O que o dinheiro faz por nós não compensa o que fazemos por ele"

Flaubert

Os Estados Unidos da Coca-Cola


Do outro lado do Atlântico existe um país que é também conhecido pela "terra das oportunidades". Do outro lado do Atlântico existe um país onde se pode fazer e dizer tudo. Do outro lado do Atlântico existe uma cultura que teima em negligenciar os valores.

"ST. LOUIS, Missouri (AP) -- Twelve boys in the first and second grade at a St. Louis elementary school are accused of sexually assaulting a second-grade girl during recess, authorities said Tuesday."

"CHANTILLY, Virginia (AP) -- A troubled teenager who died in a shootout with officers in suburban Washington said repeatedly more than a year ago that he planned to attack a police station, friends of the gunman said Tuesday."

"WASHINGTON (CNN) -- After more than three years of combat and nearly 2,400 U.S. military deaths in Iraq, nearly two-thirds of Americans aged 18 to 24 still cannot find Iraq on a map, a study released Tuesday showed."
in CNN

Do outro lado do Atlântico existe um país, os Estados Unidos da Coca-Cola.

segunda-feira, maio 8

O típico post que antecede os testes de português mas que mesmo assim é inesperado

Após ver a sua vida destroçada e ameaçada, Cesário Salcede interpela o seu grande amigo Frei Palma e pede-lhe ajuda para refazer a sua vida. Contudo, e apesar de o querer ajudar, Palma encontra-se encurralado pelos Gramaticus, uma ancestral seita que venera a análise de frases e que o pressiona para pôr fim à vida de Cesário.
Cesário encontra-se assim num dilema: ou defende a sua vida e mata Palma, ou vai em busca de justiça e confronta os senhores dos advérbios e da análise sintáctica.
Rumores apontam ainda para a intervenção dos Textus Resumos e dos Interpretatus na vida social desta conturbada sociedade que era a Lisboa do séc.XIX a.M. (antes de Maradona)

domingo, maio 7

A lágrima que eu (incompetentemente) deixei cair...
O ódio ou a raiva a negação... mais transparentes que eu senti...

(tudo acontece... tudo se repugna... tudo nos marca como ferro em brasa)

Quando servimos os nossos amigos, quando fazemos aquilo que é certo ser feito, aquilo para que vivemos, servir, e nos criticam a nós, pior;
criticam quem não tem nada a ver, quem faz tudo por nós, está sempre pronto a apoiar, e apoia, e depois tem que ouvir energumices brutais, egoísmos extremos, faltas de inteligencia- que nada podem ser a não ser lamentáveis.

(Não se sabe o que sentir a não ser tudo aquilo que aprendi a não sentir...)

Há coisas que não percebo, culpas, companhias, ausências, faltas,
enfim várias, variadíssimas coisas que não compreendo mas que doem ca dentro, e doem com muita força...

(Tudo nos marca... nada se sabe... a não ser que TUDO é passível de perdão...)

A pior situação do mundo

A pior situação do mundo é querer mas não poder ajudar um amigo. Não saber que palavras empregar, que olhar usar, que expressão adoptar, que opinião tomar. São situações "extra-terrestres", ou melhor, para lá do que é humano ou está ao nosso alcance.
Se eu não acreditasse em Algo maior já tinha desesperado muitas vezes e de certeza que não tinha podido ajudar os meus amigos, nem que fosse só com a minha presença. Sim, porque às vezes, quando nada podemos dizer, fazer ou mostrar, a presença substitui todas essas capacidades e assume-se como um factor de ajuda importante e decisivo para alguém. A presença é como iluminar alguém por dentro ou não deixar que a luz de alguém se apague. É dar um pouco de si para amparar alguém. Já fui iluminado e amparado e espero que agora também te possa iluminar e amparar...

sexta-feira, maio 5

Não gosto de discutir arbitragens mas...



Aquilo foi um escândalo!! (três lesionados, dois expulsos, um golo anulado, tempo de desconto a mais...)

Não sou machista, mas às vezes existem tarefas que uma mulher não deve desempenhar...

quarta-feira, maio 3

Festa das Famílias

Para os que se gostam de mostrar, para os que se gostam de divertir, para os que gostam de enfardar, para os que gostam de rir, para os que gostam de jogar, para todos eles há a Festa das Famílias, no Colégio São João de Brito a começar amanhã à tarde e a acabar no Domingo.



Agora que já postei esta publicidade (a pedido do colégio), devo dizer que há que ter muito cuidado no supracitado evento:

-É o local de eleição para movimentos das máfias existentes que controlam o mercado dos cachorros, refrigerantes, pipocas, algodão doce e afins;
-É onde se incendeiam antigas "brigas" com os nuestros hermanos;
-É onde se reencontram velhos comparsas do crime (leia-se antigos alunos)
-É essencialmente um evento que encobre negras histórias, como da vez em que não havia ketchup na barraquinha do 9º ano e tiveram de espremer um miúdo até à morte para com o sangue dele temperar o cachorro (que nojo!);

Foram alertados...

terça-feira, maio 2

Aviso

A propósito de racismo e protestos dos imigrantes em Portugal no 1º de Maio, acho que é de grande importância divulgar este vídeo. Não o vejam com olhos de partidários, vejam-no com olhos de portugueses.

http://www.tvalentejo.tv/?view=2006042213025284

As coisas que aprendo com a televisão:

-Que se comer determinado tipo de iogurte fico protegido com os L Casei Imunitass;
-Que os Dzrt são uma banda;
-Que, segundo uma entrevistada:" espero que as coisas melhorem pela positiva...";
-Que Vítor Baía é dos melhores guarda-redes do mundo e quiçá da Europa;
-Que os operadores de câmara não sabem tratar a imagem quando são feitas entrevistas no âmbito do processo Casa-Pia;
-Que nos filmes as bombas-relógio apesar demoram 5 minutos a explodir apesar de no mostrador estar lá indicado 5 segundos.




Dizia-vos mais, mas não vos quero desencorajar: vejam televisão e cultivem-se!!